15/09/2015 - 01:18:24

Janduhy denuncia que governo não convoca os concursados, mas contrata terceirizados

Autor: Joelma Alves

Janduhy denuncia que governo não convoca os concursados, mas contrata terceirizados

 

Parlamentar também se posicionou a favor do voto aberto na Assembleia

 

O deputado Janduhy Carneiro (PTN), contestou na manhã desta quarta-feira, 9, na tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba, a alegação do governador Ricardo Coutinho (PSB) de que não pode convocar os policiais aprovados em concurso público para não ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal. “Esta alegação é descabida, pois o que vemos constantemente no Diário Oficial é a contratação de prestadores de serviços e cargos comissionados que podem ser nomeados e demitidos ao bel prazer do governante”, criticou o deputado. 

De acordo com o parlamentar, o efetivo policial existente atualmente não dá conta das necessidades da população paraibana. “Existem hoje 819 policiais aprovados em concurso aguardando para fazer o curso de formação e ir para as ruas defender a sociedade. Mas o efetivo existente atualmente é de menos de nove mil homens, quando seriam necessários mais de 15 mil policiais. Até mesmo a contratação deste pessoal que está na espera será insuficiente, mas dará ao menos um reforço na segurança pública”, revelou Janduhy. 

O parlamentar lembrou ainda que os policiais militares da Paraíba recebem um dos menores soldos do Nordeste e, automaticamente, do Brasil. “Eles sequer recebem por parte do governo a gratificação de risco. É uma polícia desmotivada e o governo precisa urgentemente priorizar a contratação dos concursados. Eles estudaram e estão aptos a fazer o curso de formação para defender o povo paraibano. Vivemos amedrontados com o crescimento absurdo da violência em todo o nosso estado”, reclamou Janduhy Carneiro. 

Voto aberto - O deputado Janduhy Carneiro também se posicionou sobre a questão do voto aberto. Ele disse é favorável ao voto aberto, de acordo com o projeto original apresentado pelo deputado Anísio Maia (PT). O voto secreto foi instituído na época da ditadura militar, quando os parlamentares eram pressionados pelo regime e era necessário que o seu posicionamento fosse garantido, mesmo que secretamente. 

“Precisamos estar em sintonia com as mudanças democráticas. O que o povo está querendo hoje é transparência por parte dos parlamentares. É necessário que a população saiba como votou o seu candidato. O povo quer saber como o seu representante está se posicionando e não quer que ele se esconda atrás de um voto secreto. Temos que acatar as mudanças constitucionais e agir de forma transparente”, concluiu o deputado;